caracteristicas programa de voluntariado

As características do Programa de Voluntariado ideal na visão dos colaboradores

Como seria o Programa de Voluntariado ideal, na opinião dos colaboradores da sua empresa? Que características ele teria?

Recentemente, as consultorias canadenses Manifest e Level5 Strategy Group realizaram uma pesquisa para responder a esta pergunta. De acordo com Andrea Donlan, uma das autoras do estudo e presidente da Manifest, a provocação para estudar o assunto foi a pergunta frequente na maior parte das organizações: como podemos ter uma participação mais engajada dos colaboradores em nosso Programa de Voluntariado?

caracteristicas programa de voluntariado

Para chegar a uma resposta, foram feitas sessões de Grupo Focal (uma técnica de pesquisa qualitativa em que se promovem discussões em um grupo pré-selecionado de pessoas). Os detalhes sobre o processo e os resultados encontrados podem ser vistos neste white paper, mas separei aqui os trechos mais interessantes:

Afinal, o que faz uma experiência voluntária ser especial?

Vou quebrar o protocolo e contar logo o final da história, ou melhor, a conclusão do estudo. As expectativas da autora era de que os voluntários estivessem interessados em ações que destacassem suas maiores habilidades. No entanto, ela se surpreendeu ao ver que a característica mais marcante do engajamento social era a conexão emocional com a causa.

“…e todos os esforços de voluntariado podem ser bem sucedidos – desde a triagem de comida, até a limpeza de parques, ou o voluntariado em um conselho para reformar um plano de geração de receitas – desde que haja uma oportunidade para que os funcionários sintam algo. Esses sentimentos podem variar, indo desde se sentir grato, orgulhoso e inspirado, até sentir-se energizado pela vida. Ou seja: o envolvimento emocional é o que conta para os funcionários.”

(Andrea Donlan, uma das coordenadoras do estudo)

OK, você agora quer saber como exatamente isso se traduz na prática, certo? Afinal, você já ouviu relatos ou mesmo já testou alguns modelos de voluntariado que simplesmente não funcionaram na sua empresa. Pois bem, nas discussões em grupo foram trabalhadas oito zonas de sentimentos:

  1. Conhecimento: inclui emoções centrais de aceitação e companheirismo, além de auto-confiança
  2. Confiança: fundamentada em honestidade, lealdade e respeito
  3. Familiaridade: abriga sentimentos de satisfação e gratidão
  4. Estímulo: ligada a sentimentos de calor humano como amor, carinho e compaixão
  5. Amizade: associada a afeto e empatia
  6. Diversão: inclui prazer, diversão e desejo
  7. Interesse: corresponde a sentimentos de espanto e surpresa, estar vivo e energizado
  8. Inspiração: baseada em sensações de sucesso, realização e otimismo

No documento que citei no início do post, a autora explica que toda a metodologia do estudo girou em torno destas oito zonas de sentimentos. Através da contemplação de alguns cenários, os participantes deveriam dizer que emoções aquilo despertava e explicar por quê. A partir daí, foi possível mapear 7 características que, de acordo com os relatos dos participantes, compõem um Programa de Voluntariado ideal. Abaixo você pode ver cada uma delas e depoimentos que baseiam estas conclusões.

Obs: os trechos abaixo são uma tradução livre do documento, e o texto original pode ser visto no link que está no início deste post.

Característica 1: Cria fortes ligações emocionais

  • “A parte de conexão emocional é a coisa mais importante no voluntariado. É a conexão emocional que motiva os funcionários a participar de mais oportunidades de voluntariado.”
  • “Emoções precisam estar em jogo. Se estou fazendo trabalho voluntário da minha mesa, como preencher uma planilha, não consigo ver o impacto de meus esforços, sentir a conexão ou construir relacionamentos com aqueles a quem estou ajudando. É o que eu faço todos os dias para o trabalho, então eu não quero sentir que o voluntariado é como meu trabalho também.”
  • “As pessoas precisam sentir um sentimento de conexão com o que estão fazendo.”

Característica 2: Equilibra a causa central da organização com interesses e valores dos colaboradores

  • “Se uma organização tem uma área de enfoque geral, os funcionários devem ser encorajados a participar de programas de sua escolha nesse âmbito. Se eles querem se voluntariar para uma causa fora desse guarda-chuva, a organização pode considerar colaborar financeiramente nessa área quando puder.”
  • “Os funcionários devem ter abertura para escolher uma iniciativa voluntária que seja divertida para eles e colocar isso em prática.”
  • “Há um maior senso de satisfação quando os funcionários têm a oportunidade de se voluntariar para algo que esteja alinhado com suas próprias crenças.”
  • “Os funcionários devem ser capazes de escolher o que querem fazer e sentir-se apoiados pela empresa.”

Característica 3: Mostra a participação e o apoio dos líderes da empresa

  • “A participação da liderança é importante porque dá legitimidade ao programa de voluntários.”
  • “Os níveis hierárquicos tornam-se menos importantes quando todos vocês estão trabalhando juntos na mesma atividade.”
  • “O colaborador pode passar algum tempo de qualidade com seu gestor fora do escritório. Você o vê sob uma ótica nova e se conecta de uma maneira diferente.”
  • “Seja direto ou indireto, o reconhecimento por parte de seus líderes é importante para o funcionário.”
  • “Ninguém nunca vai sair do escritório e passar a tarde fazendo trabalho voluntário se tiver receio de que seu chefe não dá suporte a essa ideia.”

Característica 4: Impulsiona ações significativas e resultados mensuráveis

  • “O programa de voluntariado ideal é mais do que fornecer soluções para os outros, mas sim ver e experimentar o impacto que seus esforços ajudaram a criar.”
  • “Queremos que os colaboradores se sintam conectados, inspirados, animados e apreciados como parte da experiência. Mas é preciso saber medir esse impacto.”

Característica 5: Inclui apoio financeiro e de tempo aos projetos dos colaboradores

  • “Através das doações financeiras vemos um reflexo de que a empresa está ajudando seu time a fazer algo importante.”
  • “Ao combinar os esforços voluntários dos funcionários com apoio financeiro, estamos de fato alavancando nosso pessoal e contribuindo com nosso dinheiro para melhorar o impacto em causas importantes.”
  • “É uma ótima maneira de mostrar à comunidade e à nossa equipe que podemos fazer mais juntos. Doar dinheiro quando os funcionários são voluntários os incentiva a fazer mais ações sociais.”

Característica 6: Considera opções para famílias

  • “O programa ideal seria uma oportunidade para as famílias dos colaboradores também participarem.”
  • “Seria ótimo oferecer uma opção para trazer suas famílias. Todos os pais se esforçam para fomentar valores positivos em seus filhos. Há uma conexão emocional muito legal que é criada quando as famílias participam juntas.”
  • “Seria bom se as empresas ajudassem a identificar atividades de voluntariado onde as crianças também possam ser envolvidas.”
  • “É inspirador quando as famílias podem participar juntas. Mas as opções são limitadas porque há preocupações de segurança que precisam ser consideradas.”

Característica 7: Inspira para um compromisso de longo prazo

  • “Queremos criar um ciclo em que introduzimos os funcionários ao voluntariado e que a prática depois seja mantida em suas vidas pessoais, com a família e amigos.”
  • “Queremos dar aos participantes a vara de pescar, não o peixe.”
  • “Queremos ajudar a iniciar pessoas na estrada do voluntariado – ajudar as pessoas a decolarem por conta própria.”

 

Características programa de voluntariado ideal

Agora é com você!

Acreditamos que este estudo pode trazer algumas reflexões sobre o Programa de Voluntariado da sua empresa. No entanto, é interessante também ouvir o que especificamente os seus voluntários têm a dizer. Há algumas maneiras simples de se conseguir essas informações:

  • Promovendo uma discussão com um grupo focal, como no estudo mencionado neste post. É preciso ter cuidado para agrupar pessoas-chave que representem os diferentes tipos de voluntários da empresa, mas uma consultoria pode te ajudar neste processo – como também no processo de condução do debate.
  • Elaborando um formulário de pesquisa, que pode ser feito em aplicativos como o Google Forms e enviado por e-mail. Geralmente esta é uma etapa feita em seguida ao grupo focal, para averiguar se os inputs do grupo representam de fato a opinião do todo. A conversa com o grupo focal te ajudará a elaborar um bom questionário.
  • Analisando as respostas de pesquisa de satisfação. Muitos coordenadores de voluntariado já possuem o hábito de pedir aos participantes de uma ação que avaliem como foi sua experiência. As respostas a essa pesquisa também trazem informações preciosíssimas sobre o que os estimula a se engajar no Programa.

 

(Visited 287 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *